Cataratas do Iguaçú. Photo by @ana.marmo

Foz do Iguaçú e Cataratas

O que fazer em Foz do Iguaçú, conhecendo as Cataratas!

Cataratas de Iguaçú. Photo by @ana.marmo
Cataratas de Iguaçú. Photo by @ana.marmo

Nossa viagem para a fria Foz do Iguaçú começou em pleno sábado de sol saindo de Florianópolis. Para conhecer Foz bastam alguns dias e a maioria das atrações conhecemos em um único dia apenas.  Por exemplo, no dia seguinte a nossa chegada fizemos um passeio que incluiu o Parque das Aves de manhã, seguindo o Parque Nacional das Cataratas do Iguaçú e a tarde ainda passamos por Itaipú!

Embarcamos no voo 5273 da Azul Linhas Aéreas saindo de FLN (Aeroporto Internacional Hercílio Luz) as 17:20 horas fazendo uma conexão em VCP (Aeroporto Internacional de Viracopos) em Campinas onde meu marido me esperava, de lá partimos no voo 2674 que decolou as 20:30 horas, chegando em Foz do Iguaçú as 22:00 horas. A conexão foi rápida e tranquila e mal deu tempo de tomar um café. Nossa malas seguiram direto para Foz.

Voo da Azul para Foz do Iguaçú
Voo da Azul para Foz do Iguaçú

Outras companhias aéreas também voam para Foz como a TAM e a Gol.  O hotel já havíamos reservado pelo site Trivago e achamos o melhor preço com a Booking.com. Sempre digo e aconselho fazer as reservas através destes sites confiáveis para não entrar em roubada chegando lá!

Ficamos no Hotel Del Rey em Foz., na Rua Tarobá. Na minha opinião a melhor área para ficar em Foz, pois tem restaurantes e comércio por perto. Além de curta distância para atravessar a Ponte da Amizade (que liga o Brasil ao Paraguai) para quem quiser fazer compras!

O ruim da maioria dos hotéis em Foz é que só aceitam reservas com os dados do cartão de crédito e já podem inclusive descontar o valor das diárias antes mesmo do check in ser feito! O que torna os cancelamentos não reembolsáveis!

A maioria dos hotéis fornece serviço de transfer do aeroporto para o hotel em parceria com alguma agência de viagem. É uma ótima opção porque geralmente são mais baratos que os táxis! O motorista do transfer te espera com uma plaquinha no aeroporto com o seu nome!

Já acomodados no hotel dormimos cedo para acordarmos cedo! Através da mesma agência (localizada dentro do próprio hotel Del Rey) que nos forneceu o serviço do transfer do aeroporto, fechamos um pacote de passeios que nos levaria ao Parque das Aves, às Cataratas de Iguaçú e à Itaipú, como mencionei acima tudo no mesmo dia! Para o dia seguinte fechamos também a nossa ida até o Paraguai e o transfer de volta para o aeroporto! Tudo com a mesma agência de viagens! As Vans novas e bem seguras! Nos valeu muito a pena pois nos deram um desconto especial e o transfer da volta acabou saindo de graça. Recomendo!

O tour ao Parque das Aves, Cataratas e Itaipú custa 80 reais por pessoa saindo às 08:30 da manhã e retornando às 17:00 horas. Já a ida até o Paraguai custa 40 reais por pessoa com saída às 08:30 ou as 10:30 da manhã retornando às 15:00 horas (já que as lojas no Paraguai fecham as portas às 15:30 hs)

Parque das Aves:

 

Parque das Aves, Photo by Ana Holske Marmo Photography @ana.marmo
Parque das Aves, Photo by Ana Holske Marmo Photography @ana.marmo

Levou mais ou menos uma meia hora para chegarmos ao Parque das Aves, que está localizado do outro lado da rua do Parque Nacional das Cataratas. A entrada para o Parque das Aves custa 30 reais por pessoa, criança até 8 anos não paga e aceitam meia entrada.  O parque conta com 17 hectares de mata nativa, lá podemos observar cerca de 1.000 aves e mais de 150 espécies de aves brasileiras. É o maior parque de aves da América Latina.

Parque das Aves, Photo by Ana Holske Marmo Photography @ana.marmo
Parque das Aves, Photo by Ana Holske Marmo Photography @ana.marmo
Parque das Aves, Photo by Ana Holske Marmo Photography @ana.marmo
Parque das Aves, Photo by Ana Holske Marmo Photography @ana.marmo

 

O passeio por lá dura mais ou menos 1:30 hs (bom ir de tênis). Valeu a pena, muitas aves lindas! Tucanos, papagaios, araras, corujas, flamingos, gaviões e até jiboias e aranhas. Também tem um borboletário com borboletas gigantes. Nosso filho de cinco anos adorou o passeio! No meio do percurso, há sanitários, cafés e bancos para sentar. Também tem um restaurante e loja de souvenir na entrada/saída do parque.

Parque das Aves, Photo by Ana Holske Marmo Photography @ana.marmo
Parque das Aves, Photo by Ana Holske Marmo Photography @ana.marmo
Parque das Aves. Photo by @ana.marmo
Parque das Aves. Photo by @ana.marmo
Parque das Aves. Photo by @ana.marmo
Parque das Aves. Photo by @ana.marmo

O Parque Nacional das Cataratas do Iguaçú:

 

Saindo do Parque das Aves é só atravessar a rua e você já está na entrada do Parque Nacional das Cataratas! Os ambulantes do lado de fora te vendem capas de chuva, pois mesmo se o dia estiver bonito você vai se molhar devido à força das águas das Cataratas! E se quiser uma boa vista da Garganta do Diabo (queda dágua principal) prepare a sua capa de chuva!

Parque Nacional das Cataratas do Iguaçú, Photo by @ana.marmo
Parque Nacional das Cataratas do Iguaçú, Photo by @ana.marmo

O Parque conta com mais de 185.000 hectares e é cuidado pela ICMBio, mesma instituição que cuida de Fernando de Noronha e eu sou fã do trabalho deles. O parque abre das 9:00hs até as 17:00 hs. Na língua indígena Iguaçú quer dizer Água grande.. meio óbvio o porque do nome. As águas do Iguaçú estendem-se entre o Brasil e a Argentina.

Desde 1986 o parque faz parte da lista dos Patrimônios Naturais da Humanidade e as Cataratas são uma das 7 maravilhas do mundo.  São 18 km de quedas dágua até se juntar ao Rio Paraná, as quedas chegam à 80 metros de altura. A maior parte das quedas está no lado Argentino, de frente para o Brasil, o que torna o visual do lado brasileiro muito mais interessante. E se você tiver que escolher entre um dos passeios, opte pelas Cataratas do lado brasileiro, não irá se arrepender.

A entrada para o parque você pode verificar na tabela abaixo, valores atualizados para 2016.

Não aceitam meia entrada

Tabela de preços do Parque Nacional das Cataratas. Fonte site www.cataratasdoiguacu.com.br
Tabela de preços do Parque Nacional das Cataratas. Fonte site www.cataratasdoiguacu.com.br.

Comprar o ingresso nos guichês é fácil, depois fica um pouco confuso e tumultuado (isso que era uma segunda-feira). Com o ingresso na mão temos que passar por outro guichê para marcar o horário de saída do ônibus que levam até as trilhas para as cataratas e saem de 20 em 20 minutos. São muitos ônibus saindo ao mesmo tempo.  Então você se direciona à fila respectiva ao grupo do horário agendado de saída do ônibus. Parece um pouco confuso mas na hora o pessoal se acha. Tem muitos grupos de turistas de Agências de viagens e guias para todos os lados.

Parque Nacional das Cataratas do Iguaçú, Photo by @ana.marmo
Parque Nacional das Cataratas do Iguaçú, Photo by @ana.marmo

Embarcamos no ônibus, todos sentados e ninguém pode ir em pé. Muitos com a capa de chuva já. Ao longo do percurso que nos leva até a parada final onde está o Hotel das Cataratas e o início da trilha principal que leva à Garganta do Diabo e ao elevador panorâmico, o ônibus faz duas paradas para  trilhas alternativas e passeios que não estão incluídos no ingresso do parque. Como a Trilha das Bananeiras do Macuco Safari, são 1,7 km de trilha a pé ou por carro elétrico que leva até as Cataratas. E a trilha do Poço Preto, que são 9 km de trilha no meio da mata que leva até as quedas, impossível de fazer com crianças pequenas e é um passeio pago a parte.

Iniciamos a trilha até as quedas e a Garganta do Diabo. A trilha é uma escadaria que desce em zigue-zague, ao longo dela há várias paradas para observar as cataratas de diversos ângulos e tirar muitas fotos.

Cataratas do Iguaçú. Photo by @ana.marmo
Cataratas do Iguaçú. Photo by @ana.marmo

 

É um pouco cansativo chegar lá, mas quando se alcança a Garganta do Diabo há uma passarela de metal que nos leva até praticamente em cima da queda dágua atravessando a Catarata. Impossível não se molhar mas o visual do final da passarela é impactante! A força das águas é algo maravilhoso e assustador. Na volta é possível subir de elevador que nos leva até um mirante bem ao lado das Cataratas, onde pode-se tirar fotos e comer alguma coisa. Também tem uma loja de souvenir. O  bom é que não é necessário fazer o caminho de volta pela trilha, os ônibus para o retorno ao início do parque partem logo da saída do elevador panorâmico.

Também tem um passeio de bote (barco inflável de porte maior) que leva os turistas até as quedas. Tem que ser um pouco corajoso para fazer esse passeio pois o guia leva o bote até bem debaixo das quedas dágua e podemos sentir o poder da foça das quedas, muita adrenalina. Lá também pode-se fazer skydive e passeios panorâmicos de helicóptero. Cada passeio é pago a parte é claro e vai do tamanho da sua coragem.

Quando retornamos ao início do Parque, a Van já estava nos esperando para nos levar até Itaipú.

 

Itaipú:

 

Usina Hidrelétrica de Itaipú. Photo @ana.marmo
Usina Hidrelétrica de Itaipú. Photo @ana.marmo

Atravessamos a cidade de Foz do Iguaçú para chegar até Itaipú Binacional, na fronteira com o Paraguai.  É chamada de Binacional pois é uma área comum tanto ao Brasil quanto ao Paraguai, e tudo lá é divido: 2 presidentes na gerência (um brasileiro e um paraguaio) por exemplo. A Usina Hidrelétrica de Itaipú é considerada a maior geradora de energia limpa e renovável do planeta. Na linguagem indígena Itaipú significa Pedra que faz barulho. Abastece de energia o Brasil e o Paraguai.

Usina Hidrelétrica de Itaipú. Photo @ana.marmo
Usina Hidrelétrica de Itaipú. Photo @ana.marmo

Realmente o tamanho da Usina impressiona. Ao chegar lá o ingresso é comprado no guichê pelo valor de 30 reais, porém aceitam meia entrada e crianças não pagam. O passeio é dividido por horários e assim que se inicia somos levados à um cinema onde é exibido um pequeno documentário sobre Itaipú, logo após embarcamos em um ônibus que nos leva pela Usina e um guia trilíngue nos apresenta fatos e curiosidades sobre Itaipú.  O passeio dura aproximadamente 2 horas.  Há a opção do passeio de Kattamaram durante o pôr-do-sol no Rio Paraná.  O passeio de barco não está incluído no valor do ingresso.

Usina Hidrelétrica de Itaipú. Photo @ana.marmo
Usina Hidrelétrica de Itaipú. Photo @ana.marmo
Usina Hidrelétrica de Itaipú. Photo @ana.marmo
Usina Hidrelétrica de Itaipú. Photo @ana.marmo
Usina Hidrelétrica de Itaipú. Photo @ana.marmo
Usina Hidrelétrica de Itaipú. Photo @ana.marmo

A noite fomos jantar em uma churrascaria em Foz, no centro da cidade  o que não falta é opção para jantar.  Inúmeras churrascarias, sushi bar e comida caseira. A comida é boa e farta.  Ali no centro também há bares e pubs para quem quer curtir a noite. Se você procura mais opções gastronômicas e carnes, a dica é atravessar a Ponte Tancredo Neves e visitar a área de Puerto Iguazú no lado Argentino.  O prato típico de Foz é o Pirá de Foz, à base de dourado e surubim, peixes tradicionais da região da Bacia do Prata.

Foz do Iguaçú é uma cidade completa.

Se você tem mais dicas de outros lugares interessantes para visitar em Foz do Iguaçú deixe o seu comentário!

 

Please follow and like us:

10 opiniões sobre “Foz do Iguaçú e Cataratas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *